quarta-feira, dezembro 28, 2011

Dezenove anos sem Daniella Perez

Dany, como você mesma escreveu: “Sabe, acho que como ninguém pode ver o fim do arco-íris, temos mais é que imaginá-lo”. (1986). E eu imagino!

Foto disponível em: http://www.gloriafperez.net/?page_id=1767

Como te penso tanto, e tento enxergar o teu rosto além do arco-íris.
Com as mãos rabisco uma história que você não pôde escrever.
Imagino as músicas que você deveria dançar,
As personagens que ganhariam vida ao som do seu sorriso e do seu caminhar...

Imagino a sua casa cheia de crianças.
Algumas te chamariam de “mamãe”. Outras de “tia”...
E vejo essas mesmas crianças crescendo... Escolhendo o curso superior! Posso até vê-la com o rosto preocupado: _ “Será essa a escolha melhor?”.

Imagino um bolo cheio de velinhas com todos os “parabéns” que precisaram se calar...
Todos os braços que ficaram sem o teu abraço...
Todas as palavras vazias, enlaçando narrativas que ficaram à margem de você.

E a cada movimento deste além do arco-íris, rabisco páginas de uma vida que imaginei...
De risos, alegrias, decepções, desafios, conquistas...
Uma vida em que o verbo “VIVER” pôde ser conjugado até o “futuro do presente”...

E nesta altura, as marcas do tempo abraçariam você, assim, como deveria ser...

Danielle Faria.

DANY, ao ver suas fotos, seus bilhetes, seus guardados... Tudo que ficou cristalizado nos seus vinte e dois anos de existência, penso: _"É possível ouvir risos de alegria de momentos ausentes. Basta imaginar!"

VÍDEO: FERNANDA ROCHA.

video


"Escolhi a música do melhor poeta que já existiu e as imagens mais bonitas da Dany. Minha lembrança é pra ela e meu carinho é pra Glória Perez. (Fernanda Rocha)".
Disponível em: http://youtu.be/Hn6ApC0Z_TQ

Belíssimo, Fernanda! Obrigada!

Em tempo: A música "Valsa para uma menininha" e as fotos da Daniella Perez foram escolhas de quem produziu o vídeo: Fernanda Rocha.
 

terça-feira, dezembro 06, 2011

Instantes



Desenho uma estrada sem fim e por ela caminho.
Ouço os ecos dos meus passos que parecem melodias de uma nota só.
Não vejo nada... É um instante necrosado.


Que destino é este a que vim?
E ao indagar pingos de luzes caem de um céu que pensava estar ausente...
A estrada ilumina-se de sonhos.


Danielle Faria.